“Envelhecemos porque deixamos de brincar.”

Sábado fui ao cinema ver o filme “O jogo da apanhada” (Tag). Uma comédia hilariante sobre um grupo de amigos que, em miúdos, fizeram um pacto de que mesmo já adultos iriam guardar o mês de Maio para jogar à apanhada. – Melhor ainda: isto baseia-se em facto reais ! 😆

Agora perguntam-se aí em casa “porque haveria um grupo de amigos fazer tal pacto?”. Bem, acontece que este grupo de amigos acreditava que “Envelhecemos porque deixamos de brincar”. Assim recusaram-se a deixar de lado a brincadeira e animação na sua vida adulta!

Isto deixou-me a pensar: quantos de nós quisemos crescer rápido e desejamos poder voltar ao nosso tempo de criança? Quantos de nós esquecem de dar tempo às crianças para serem crianças? Quantos de nós se esquecem de que não há mal nenhum em ficarmos no mundo da imaginação em que também recriamos, brincamos e exploramos tudo com espírito de aventura? As responsabilidades aumentam, os deveres parecem cada vez mais do que os direitos e a liberdade, é verdade. No entanto, é esta agitação da criança inquieta que temos em nós que nos permite ser adultos bem mais criativos, confiantes e alegres, acreditem! …estas brincadeiras deixam-nos sentir ainda mais vida! Não concordam?

O brincar é tanto importante para uma criança como para um adulto: seja para ser um momento em que nos desligamos do stress do dia a dia e por momentos nos permitimos estar num mundo em que tudo é possível; seja porque desta forma estimula-mos a nossa criatividade, a nossa flexibilidade sobre os problemas ou as situações do dia a dia; seja porque por momentos nos conectamos de igual para igual com a criança, o que nos permite uma ligação ainda mais forte com esta.

Brincar em adulto para quê?

Se ainda existem dúvidas, deixo-vos aqui seis motivos pelo qual devem CONTINUAR A BRINCAR:

  1. Brincar ajuda-nos a libertar hormonas que nos ajudam a libertar do stress do dia-a-dia;
  2. Ao libertar-nos do stress, sentimos mais energia (ao contrário do que poderia pensar) sendo maior a estimulação do nosso cérebro e do nosso corpo;
  3. Ao brincar com a família, amigos ou até pessoas desconhecidas mais depressa nos conectamos uns aos outros e nos sentimos ligados às pessoas que nos rodeiam. Permitindo-nos sentir mais seguros e estabelecer relações que se tornam mais duradouras;
  4. Brincamos e iremos sentir-nos mais criativos, com maior capacidade para imaginar ou contornar qualquer desafio do dia-a-dia;
  5. Ao brincar e ao levar o cérebro a situações de vitória, despertamos em nós mesmos uma maior autoconfiança. Começando com pequenas brincadeiras em que nos sentimos mais capazes, progressivamente, iremos começar a acreditar e a confiar ainda nas nossas potencialidades!
  6. Ao brincarmos, atingimos resultados e ao sentirmos mais auto-confiança, sentimos  mais vontade de arriscar e de alcançar objetivos que antes nos colocariam imenso medo e iriam bloquear o nosso espírito de iniciativa.

Dúvidas, ainda? 😅

Brinquem muito! Recriem brincadeiras que tinham em miúdos com as crianças, brinquem com a vossa família e amigos! Divirtam-se e irão ver que o envelhecimento irá bater à porta bem mais tarde !😁

Blog Mais q’ Especial

About the author

Psicomotricista, apaixonada por conhecer e partilhar. Autora do blog 'Mais q'Especial'.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Beatriz Pereira

Psicomotricista, apaixonada por conhecer e partilhar. Autora do blog ‘Mais q’Especial’.

Segue-me no facebook!

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar