O meu filho não sabe perder em nada!

É cada vez mais frequente ouvirem-se pais a falar da dificuldade que os seus filhos têm em perder. Perder um jogo, perder um objeto, perder a sua vontade…saber perder é uma característica cada vez mais extinta!!

A base desta dificuldade em saber perder relaciona-se com a intolerância à frustração.

Hoje em dia, são cada vez menos as situações com que os mais pequeninos têm de lidar que lhes cause frustração. Isto porque, o dia corre, os pais estão cansados e muitas vezes, verdade seja dita, é mais fácil ceder ou simplesmente facilitar para que a criança não comece uma birra. O mundo cresce a cada dia que passa, no entanto, o stress e o cansaço dos adultos também e os mais pequeninos só conhecem um mundo em que as suas necessidades e desejos são rapidamente satisfeitos.

Não há espaço ou tempo para lembrar os mais pequenos de que é bom aprendermos que não podemos ter tudo, à hora que queremos, quando queremos e como queremos. É bom ter de lutar para termos as nossas coisas pois só assim damos verdadeiro valor ao que conquistamos!

O evitar ou facilmente ceder a situações em que os pequenotes se sentem irritados ou frustrados, não lhes permite aprender a conhecer e a lidar com as suas emoções, a desenvolver a sua resiliência ou esquemas para se acalmarem autonomamente.

Como ajudá-los a aprender a perder e a lidar com a frustração?

  1. Comecem precisamente por não ceder à sua birra e deixar a criança perder. Num jogo, numa corrida, numa vontade, deixem-no perder! No final, reconheçam o seu esforço, expliquem que existirão outras oportunidades e ajudem-na a pensar no que poderá melhorar ou fazer para alcançar o que quer. Assim, estarão a passar a mensagem de que aprendemos principalmente com as situações desafiantes em que nem sempre conseguimos aquilo que queremos!
  2. Deixem a criança esperar! Não lhe dêem a resposta às suas necessidades ou desejos logo na hora. Esta medida podem começar a aplicá-la desde cedo, desde que são bebés. Se o bebé começar a chorar para comer ou porque quer um brinquedo, não se sintam culpados por deixá-los esperar nem que seja por 5 minutos. Acreditem que este bebé irá crescer muito menos ansioso e mais calmo porque aprenderá que terá o que precisa ou pede a seu tempo.
  3. Mantenham as regras/limites e não deixem a criança dar “asas à sua imaginação” sugerindo novas regras ou tentando negociar (os pequenotes são ótimos a fazer isto ahah). Respeitar regras e limites, ensina a criança a ser mais responsável e capaz de respeitar os compromissos que assume.
  4.  Mantenham-se calmos nos momentos de raiva ou intolerância à frustração. Se também os adultos se exaltarem, a “fogueira só ganhará mais chama”. Sejam assertivos e empáticos dizendo à criança que compreendem que esteja triste ou zangada, no entanto, outras oportunidades surgirão e se nestas aplicar o que aprendeu com a situação que lhe deixou triste, terá de certo mais sucesso.

O mundo é cada vez mais individualista, competitivo e com este espírito, se não conseguirmos lidar com a frustração ou com o perder, só corremos o risco de termos um mundo no futuro com pessoas deprimidas, inseguras ou conflituosas.

Boas “jogadas” aos adultos! Lembrem-se que com elas, as crianças também só estarão a ganhar!

Blog Mais q’ especial

 

 

 

About the author

Psicomotricista, apaixonada por conhecer e partilhar. Autora do blog 'Mais q'Especial'.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Beatriz Pereira

Psicomotricista, apaixonada por conhecer e partilhar. Autora do blog ‘Mais q’Especial’.

Segue-me no facebook!

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar